sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Semana de moda - Londres Verão 2014 - Parte 1

   A semana de moda de Londres chegou ao fim e já dá pra fazer um apanhado de tendências pro Verão 2014.

Adidas by Stella Mccartney
   Com performance esportiva, o desfile de Stella McCartney para a Adidas mostrou nado sincronizado, yoga, elásticos e esteiras que deixaram a passarela com cara de academia. Nas roupas prints de margaridas cobriram um shortinho e uma blusa e, nas leggings e casacos, as estampas eram psicodélicas. Jaquetas com capuzes enormes revelaram o nome da estilista impresso delicadamente nas mangas.



Antonio Berardi
   No verão 2014, seus tradicionais cocktail dresses, para vestir quando a noite cai, ganharam ares mais casuais. Essa mudança rendeu ótimas jaquetas motorcycle coloridas com mangas bem amplas, modelagem que também surgiu nas blusas. A cartela começou com tons claros e muito rosa e evoluiu para o vermelho, prata, preto e branco. Os vestidos e saias tinham silhueta em A e comprimento mullet, geralmente curto na frente e longo atrás, animal prints e bordados de cristais.



Barbara Casasola 
   Coleção inspirada no Modernismo, ao som dos Mutantes e em clima de leveza, o desfile trouxe saias-lápis e vestidos de comprimento mídi, estratégicas transparências e uma cartela que priorizou tons fúcsia, vermelho e preto.



Burberry
   Foi em busca da suavidade que a Burberry criou o verão 2014, um desfile repleto de rendas inglesas e candy colors, como azul e rosa bebê, lilás e outros tons pastel. Entre as peças, destaque para os cardigans longos, trenchcoats e muitas saias-lápis com comprimento até o joelho. Flores em relevo, transparências, poás e listras.



Christopher Kane 
   Com inspiração nas flores, muitas pétalas viraram recortes, bolsos, golas e inúmeros detalhes aplicados em terninhos e vestidos em preto, branco e tons pastel. Diagramas construídos, também de flores, deram um toque divertido aos vestidos-camisola com alças fininhas.



Erdem
   A androginia foi o ponto de partida nesta coleção. A silhueta, na maior parte da coleção, traz referências de uniformes escolares com camisas brancas, saias envelope, blazers justinhos e vestidos tipo camisola. As únicas peças totalmente femininas foram vestidos com apliques de flores, penas, rendas e muitos bordados.



Giles
   Giles colocou bocas e morcegos pra desfilar em mais um desfile cheio de drama. Logo no primeiro look, a modelo Kristen Mcmenamy, entrou interpretando uma pálida donzela de cabelo prateado usando um fluido e longo vestido branco. Em seguida, uma série de produções de seda rosa adornadas por enormes mangas bufantes encheram. A cartela de cores evoluiu ao longo da apresentação, partindo do branco, passando pelo dourado e diversas nuances de rosa, até chegar ao preto. O couro cortado surgiu em dourado com detalhes de penas na barra de peças tais quais vestidos e tops.



 House of Holland 
   A House of Holland  passeou pela Cidade do México, pelos estúdios de tatuagem de Los Angeles e adicionou referências dos anos 1950 em seu verão e usou vestidos e saias com bonés, camisas amarradas na cintura, colares de correntes grossas e óculos gatinho. Das tatuagens criou estampas de rosas e imagens sacras, além de muitos xadrezes.



Jonathan Saunders 
   Inspiração sobre o moderno, o espírito livre e a sensação de facilidade e leveza. Nas peças os destaques foram: referências esportivas, do streetwear e da moda praia. Uma pegada masculina também esteve presente em jaquetas curtinhas e do tipo bomber de cetim usadas com bermudas e sandália do papete. Delicadas malhas fininhas em tons de arco-íris, vestidos leves e saias decoradas com flores completaram a coleção.



JW Anderson
   Inspirada nas indumentárias dos japoneses, o resultado foram looks delicados, dotados de certo romantismo onde a mistura de tecidos, como seda e couro, as texturas e o volume se destacaram. Ponto para as saias plissadas em alto-relevo, laços enormes na cintura e sobre tops transparentes e delicados drapeados. Nos pés, confortáveis sandálias de couro que lembravam as papetes.



Lucas Nascimento
   Sua coleção foi inspirada no cinema, mais precisamente na cena em que Brigitte Bardot surge enrolada em uma toalha amarela no filme Le Mepris, de Jean-Luc Godard e em Faye Dunaway, em Mamãezinha Querida.
Destaque para a silhueta moderna construída com cortes assimétricos em saias, minivestidos e decotes. Uma série de peças, que muito lembravam Bardot, foram feitas de malha que envolviam o corpo, como vestidos e tops com alcinhas fininhas de sutiã. 



Conto mais em outro post, beijos