sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Semana de moda de Milão - Verão 2014 - Parte 2

   Esse é o segundo e ultimo post da semana de moda de Milão - Verão 2014. Ao final colocarei minhas conclusões.

Jil Sander
   Inspirada no minimalismo, Jil Sander. mostrou uma alfaiataria masculina, porém sedutora, como o look inicial do desfile, uma calça branca, cinto e jaqueta sequinha sobre o top cropped, que permeou o desfile. Havia também elegantes vestidos com cintura marcada e estampas inspiradas nas pinturas do artista italiano Alighiero Boetti colorindo blazers, blusas e bermudas.



Just Cavalli
   Com a influência dos anos 1990, Just Cavalli mostrou tops tipo sutiã estampados, coletes compridos cara de blazer, casacos mais longos atrás, vestidos com recortes na cintura.



Marni
   A estilista Consuelo Castiglioni mergulhou no universo esportivo para criar sua coleção e o resultado são looks repletos de referências do universo do tênis, muitas vezes cobertos por flores. Entre os destaques calças fluidas, vestidos de cortes simples e saias sarong.



Max Mara 
   Looks monocromáticos só que sem o volume e peso. Uma série de combinações baseadas em saias-lápis, com blusas ou camisas de mangas amplas, e vestidos usados com capas longas sobrepostas. Como resultado, looks elegantes e discretos. Para a noite, transparências  elegantes, como o vestido  sobre body metalizado.



Missoni
   A estilista trabalhou os quatro elementos, água, terra, fogo e ar nas estampas que permearam o desfile com  temas como gaivotas, ondas do mar, vulcões, animal prints, florais e até o  logotipo da marca. Nas peças explorou a silhueta mais solta de caftans, sarongs indianos e drapeados que surgiram em blusas, saias e vestidos, tudo com o comprimento abaixo do joelho.



Moschino
   Foi na passarela que a Moschino comemorou seus 30 anos enquanto uma retrospectiva de ícones da marca eram mostrados na passarela. Os looks de verão foram desfilados em dupla, com uma proposta mais comportada ao lado de outra bem provocante e fetichista. Vestidos de paetês, babados ou estampas de bolinhas, short e calça jeans com jaqueta perfecto e cintos que traziam expressões como “bal girl".



Ports 1961
   A alfaiataria definiu os rumos dessa coleção e o caminho escolhido foi um mix entre androginia e feminilidade. O toque masculino veio nos blazer amplo sobre camisas masculinas longas. Em contra partida vestidos tipo camisa combinados com saias de pregas ou de renda, estampas de pôr do sol e camuflagens que lembram o brilho do sol na água.



Prada
   Cor, arte urbana e sensualidade com inspiração no muralismo mexicano traduzido no trabalho de seis artistas contemporâneos: Pierre Mornet, El Mac, Gabriel Specter, Mesa, Stinkfish e Jeanne Detallante.Nas roupas multicoloridas, as referências dos murais surgiram vibrantes e basta olhar para a série de rostos femininos que estampam vestidos, saias, bolsas e até calorosos casacos de pele. Um toque esportivo veio à tona nas malhas com barras listradas, tops bordados com cristais, alguns deles sobrepostos aos vestidos, outros costurados em peças com mangas longas, polainas e saltos tipo tênis.



Roberto Cavalli
   Os modelos esvoaçantes, as prints de animais e os jeans estampados surgiram grandiosos e a novidade foi uma série de vestidos com brilho prateado de cima abaixo a baixo que permearam a coleção. Havia uma clara influência dos anos 1920, principalmente quando os vestidos longos vêm acompanhados de estolas de pele. Um clima lânguido deu o tom ao o desfile onde caftans, túnicas e até as calças mais justas da marca eram mais folgadas.




Salvatore Ferragamo 
   As apostas dessa coleção foram às peças fáceis de usar e por isso foi mostrada uma longa série de looks em tons neutros, com alguns toques de cor como o mix de cinza e roxo na estampa de jacaré de um do trench coat, e o azul-marinho que colore as peças finais do desfile. Havia também um bonito terninho em risca de giz que trazia uma espécie de sobre a calça, para as jaquetas, vestidos que lembravam ternos masculinos e para o uso comedido das pregas.



Tod's
   O couro, quase sempre cortado a laser foi destaque para bons modelos de shorts, saias-lápis ou godês, jaquetas e calças cropped, em tons fortes como vinho e vermelho e mais pálidos como rosa, cinza e azul.



Versace
   Várias influências marcaram essa coleção. Num primeiro momento, o punk veio à tona ditando moda para uma garota que adora usar roupas justas cheias de recortes, em outro, parece que a estilista acrescentou a tendência street com jeans desgastado usado com camisa de seda. Haviam estampas florais manchadas, com cara de tie-dye e saias-lápis e godês surgiram em looks onde fendas, decotes, recortes e o toque de luxo veio com cintos e detalhes em metal, além de plataformas altíssimas.



   Bom, pra resumir....muita listra, detalhes em dourado, bordados florais, barriga de fora (ainda), saias rodadas, midi, tons pastel e também os vibrantes, porém frias, transparências  feminilidade e estampas multicoloridas porque afinal é tendencia de verão! A sensualidade é o ponto forte dos desfiles mas retrata uma mulher sexy e na medida.
   No fim, dá pra perceber que "tudo" tá na moda, a diferença básica de um look bom do ruim são as composições. Acompanhe nosso blog e veja essa e outras dicas.
   Beijos e até o próximo post...

Beijos e até o próximo post...